30/06/2008

Arte que se visita: Zoo de Lisboa


O Jardim Zoológico é o meu local favorito de Lisboa. Todos os anos dá-me um prazer enorme revisitar as suas instalações. E, conto fazê-lo sempre.

Assisti à degradação das suas instalações e, com grande alegria, à renovação das mesmas. Hoje em dia, o Zoo está melhor do que nunca e recomenda-se a todos, independentemente da idade. O jardim da entrada nunca esteve tão florido e arranjado, tão povoado de vida e cor, abundante em chapéus de sol, visitantes, esplanadas e restaurantes. Os animais foram sendo contagiados eles próprios por esta chuva de cor e renovação e, em conjunto com o trabalho do pessoal, voluntários e da campanha de apadrinhamento, parecem ter, eles próprios, semblantes mais satisfeitos.


A sua história:


"Inaugurado em 1884, o Jardim Zoológico de Lisboa foi o primeiro parque com fauna e flora da Península Ibérica. Foram vários os seus fundadores, como os Drs. Pedro van der Laan e José Thomaz Sousa Martins e o Baraão de Kessler, que contaram com o apoio de várias personalidades, como o Rei D. Fernando II e pelo conhecido zoólogo e poeta José Vicente Barboza du Bocage.

As primeiras instalações situaram-se no Parque de São Sebastião da Pedreira, que foi cedido gratuitamente pelos seus proprietários. Em 1905, foram inauguradas as novas e definitivas instalações na Quinta das Laranjeiras.

As inúmeras remessas de animais vindos de África e do Brasil contribuíram para que, ao longo dos anos, o Jardim Zoológico tivesse uma das colecções de animais mais vasta e diversificada. Destacaram-se, na realidade, alguns governadores das ex-províncias ultramarinas no contributo para o enriquecimento da colecção zoológica com exemplares de espécies exóticas, pouco conhecidas e atractivas.

Em 1952, a Câmara Municipal de Lisboa galardoou esta Instituição com a Medalha de Ouro da Cidade.

A queda do Estado Novo em 1974 e a consequente independência das antigas colónias em África, significou a quebra do forte apoio prestado ao Jardim Zoológico pelas autoridades na diversificação e renovação da colecção animal. Por esta altura, o número de visitantes também diminuiu de forma substancial e ocorreram cortes radicais dos subsídios estatais. Assim, foi necessário desenvolver e implementar uma nova estratégia de gestão para o Jardim Zoológico, adequando-o aos valores e necessidades da época.

Em 1990 a nova política de gestão adoptada pelo Dr. Felix Naharro Pires que tomou posse tinha por objectivos a modernização do espaço do Jardim, assim como dos serviços. Deste modo, foram criadas áreas de trabalho específicas com objectivos próprios, para melhorar a colecção e o bem-estar animal, a sua alimentação e os cuidados médico-veterinários. Em paralelo, foram criados serviços comerciais, de marketing, relações públicas e imprensa, de modo a dinamizar o Parque como parceiro privilegiado das empresas. Promover a educação para a conservação junto do público visitante era, também, uma das principais preocupações, que rapidamente mereceu a criação de um serviço próprio, o Centro Pedagógico.

Hoje em dia, o Jardim Zoológico é um importante espaço onde aliada à conservação e à educação está uma forte componente de entretenimento e diversão. No parque habitam várias espécies de mamíferos, aves, répteis e anfíbios. Das mais de 360 espécies do Jardim Zoológico, 54 são EEP's."


fonte: site do Zoo


Visite:



Vídeos do Zoo no Youtube:




1 comentário:

Meus Netos Minha Fortuna disse...

Querida Ana
Peço desculpa, mas não tenho conseguido visitar os "meus cantinhos" como eu gosto...devagar...devagarinho!
Sabes, eu tenho uma netinha com dois anos que está sempre comigo e tenho outro de 5 que criei até aos três, mas agora está no colégio.
Só que agora na época de férias, quer ficar comigo também...é natural!
Ele até é "calminho" dentro do possivél, mas ela é uma tsumani taliban...está sempre a ver o que há-de "tramar" portanto agora com dois, até ao fim de Agosto, não vou certamente ter tempo para me deliciar com os teus posts, mas virei cá sempre que possivél, nem que seja para desejar bom fim de semana.
Ah...não penses que estou triste, com as minhas fortunas...não querida estou deliciada com as suas "macacadas" um pouco cansada, mas muito, mas muito feliz de ter o privilégio de os ver felizes e brincalhões...!
Bom fim de semana
Beijinhos
Vóvó Cassilda

Google